Nicky diz que sua carreira começou quando ainda nem sabia falar. “Sem falar uma palavra eu já assobiava”, ri. Ela foi descobrir sua vocação para a carreira artística ainda criança ao ser desafiada por seu pai a cantar em um karaokê. Apaixonada por “Titanic”, a menina interpretou o tema “My Heart Will Go On”, de Celine Dion, para convencê-lo a levá-la a um fliperama.
“Mas a gente não sabia que estava rolando uma competição e eu acabei sendo classificada para as próximas etapas”, narra. Foi neste momento que os pais da são-bernardense decidiram colocá-la em aulas de canto e piano. “Estudei música por 10 anos. Aos 14, decidi me dedicar à carreira de atriz e comecei a frequentar a [Escola] Wolf Maya.”

Apesar de Nicky tentar se afastar da carreira musical, o canto a perseguiu mesmo quando o foco era a dramaturgia. “Por eu atuar e cantar, começaram a me chamar para fazer teatro musical”, afirma. Assim, antes de se tornar uma popstar brasileira, ela participou de montagens como “On Broadway”, “Garota Glamour” e “Rock Show”.

Em 2011, surgiu a oportunidade de se apresentar na The Week, casa noturna de São Paulo. “Achei que ia ser apenas um experimento, então quis separar os shows da minha vida como atriz, por isso adotei o nome de Nicky Valentine”. Desde então, ela largou a escola de atuação e nunca mais parou de se apresentar em boates.

Após conquistar o lugar ao soll, a artista está inserindo o idioma materno aos poucos em seu repertório. O álbum “Papa’s Princess”, que desbancou Lana Del Rey na lista dos mais vendidos do iTunes brasileiro no ano passado, tem a faixa “Enough” e a sua versão em português, a “Acabou”. “A ‘My Samba’ também é metade nas duas línguas”, acrescenta

Assista ao vídeo: